Pular para o conteúdo principal

DIA 30 APROFFESP TAMBÉM VAI PARAR!


  ASSOCIAÇÃO DOS PROFESSORES (AS) DE FILOSOFIA E FILÓSOFOS (AS) DO ESTADO DE SÃO PAULO


        CHAMADA PARA A GREVE GERAL DO DIA 30

                 

                

      “Em tempos como esses, parafraseamos Bertold Brecht e defendemos o óbvio”


   A nós professoras e professores de filosofia, filósofos e filósofas é demasiado óbvio a necessidade de PARAR O BRASIL NO DIA 30 e denunciar o estado de exceção em que vive o país, sob o desgoverno de um presidente usurpador e um Congresso composto por uma grande maioria  de réus, de acusados pela justiça, uma justiça que tem em seu interior delegados de polícia, procuradores e juízes (Inclusive na corte mais alta do País, STF) que se auto intitulam “justiceiros/combatentes da corrupção”, e desfilam, expondo sob os holofotes da mídia suas fardas e togas num espetáculo vergonhoso e inadmissível em uma sociedade que se quer democrática e civilizada.    A Filosofia Toma Partido e leva à práxis suas reflexões éticas, em defesa da política no sentido aristotélico “A tarefa da política é investigar qual a melhor forma de governo e instituições capazes de garantir a felicidade coletiva”. Os corruptos que aí estão não têm autoridade e legitimidade de mexer na Constituição editando PECs  (Reforma da previdência, Reforma trabalhista, terceirização, etc) e Medidas Provisórias como a da Reforma do Ensino Médio, que representam um retrocesso criminoso, remetendo as futuras gerações aos tempos sombrios de um passado não muitodistante.

   A APROFFESP se soma às demais entidades sindicais, estudantis e dos movimentos populares organizados na chamada para a Greve Geral no dia 30 de junho, Contra as Reformas, nenhum direito a menos, por eleições gerais e pelo Fora Temer!


DIRETORIA DA APROFFESP


http://www.aproffesp.org/noticias/238-chamada-para-a-greve-geral-do-dia-30

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A APROFFIB apoia e convida a todos para GREVE GERAL no dia 30 de junho

LUTAR É PRECISO!!!
A APROFFIB apoia e convida a todos para GREVE GERAL no dia 30 de junho
"Morrer ou deixar morrer" Não é querer fazer alusão as ideologias nazistas ou a qualquer tipo de ideologias, nem é ser anarquista, mas pelo contrário, é suscitar uma atitude crítica na sociedade em que vivemos. Recordarmos Nietzsche quando diz que nos tornamos passíveis diante dos problemas sem questionar ou lutar, enfim quando fugimos dos nossos direitos, transferimos o nosso poder a outras pessoas. Assim nós o perguntamos “morrer, ou deixar morrer”? Morrer é lutar pelos seus direitos, é lutar pela vida é fazer algo de sua existência, e deixar morrer é simplesmente cruzar os braços para tudo, para sociedade e principalmente para esse governo que nos massacra e tira de nós trabalhadores o direito à vida digna, o direito ao trabalho digno e principalmente o direito de se aposentar. E hoje, o que estamos fazendo? Durante o nazismo, o povo alemão matou e deixou morrer “por não saber o que ac…

RESPOSTA AO ARTIGO DO JORNALISTA PAULO CHAGAS: Sobre a história do Brasil

Por Chico Gretter: Ontem recebi um relato de um tal jornalista Paulo Chagas que elogiava os generais do regime militar e atacava o Lula, comparando a abnegação dos militares com o oportunismo do petista e acusou os "brasileiros" de profunda ignorância sobre a nossa história... Não entrando em questões pessoais de quem é mais bonito, fiz a seguinte reflexão:                                                                                                                   RESPOSTA AO ARTIGO DO JORNALISTA PAULO CHAGAS: sobre a história do Brasil, como professor de História que sou, devo discordar de várias afirmações do jornalista Paulo Chagas sobre a época do regime militar. Os generais que governaram o país por 21 anos podem ter sido honestos, mas a política de alinhamento de nossa economia ao capitalismo internacional/$USA que ainda domina a América Latina sempre provocou uma dependência muito grande de nossos países aos EUA, sem falar nos milhares de presos, torturados, exil…

“ESCOLA SEM PARTIDO”: O QUE ISSO SIGNIFICA?

Por Dermeval Saviani

No Brasil o atual governo, resultado de um golpe parlamentar, vem tomando várias iniciativas na direção do abastardamento da educação. A par de medidas como cortes no orçamento, destituição e nomeação de membros do Conselho Nacional de Educação sem consulta, um sinal emblemático da intervenção nos próprios conteúdos e na forma de funcionamento do ensino é o movimento denominado “Escola sem partido” que se apresenta na forma de projetos de lei na Câmara dos Deputados, no Senado Federal e em várias Assembleias Estaduais e Câmaras Municipais do país.

O referido projeto é chamado por seus críticos de “lei da mordaça”, pois explicita uma série de restrições ao exercício docente negando o princípio da autonomia didática consagrado na legislação e nas normas relativas ao funcionamento do ensino. A motivação dessa ofensiva da direita tem um duplo componente.

O primeiro é de caráter global e tem a ver com a fase atual do capitalismo que entrou em profunda crise de caráter e…