Pular para o conteúdo principal

Postagens

O Pensamento de Frantz Fanon

Depois de muito ouvir falar pude por fim dedicar um tempo para conhecer um pouco melhor o Pensamento de Frantz Fanon... (a pausa no texto é uma representação simbólica da necessidade de respirar profundamente, recuperar o folego...)

Não estou certa se é possível voltar a respirar com normalidade depois de mergulhar ainda que superficialmente na ânsia de liberdade que transborda da alma de Fanon.

@s leitor@s estendo o convite por mim aceito... Bora avançar para águas mais profundas!

"Em uma época em que a dúvida cética tomou conta do mundo, em que, segundo os dizeres de um bando de cínicos, não é mais possível distinguir o senso do contra-senso, torna-se complicado descer a um nível onde as categorias de senso e contra-senso ainda não são utilizadas." https://www.geledes.org.br/frantz-fanon-pele-negra-mascaras-brancas-download/

Postagens recentes

Chamado à Plenária Estadual da Aproffesp: Dia 29/11/17 às 16 horas na ALESP

Profª Lucia Peixoto Diretora Estadual da APROFFESP reforçando a Importância das plenárias regionais e da Plenária Estadual que terá como tema: Filosofia Africana: Pela descolonização do pensamento.



Ubuntu: Uma Filosofia Africana

Ubuntu é uma ética ou ideologia de África (de toda a África). É uma filosofia africana que existe em vários países de África que foca nas alianças e relacionamento das pessoas umas com as outras. A palavra vem das línguas dos povos Banto; na África do Sul nas línguas Zulu e Xhosa. Ubuntu é tido como um conceito tradicional africano.

Uma tentativa de tradução para a Língua Portuguesa poderia ser “humanidade para com os outros”. Uma outra tradução poderia ser “a crença no compartilhamento que conecta toda a humanidade”e ainda “Sou o que sou pelo que nós somos”.

Uma tentativa de definição mais longa foi feita pelo Arcebispo Desmond Tutu:

Uma pessoa com ubuntu está aberta e disponível aos outros, não-preocupada em julgar os outros como bons ou maus, e tem consciência de que faz parte de algo maior e que é tão diminuída quanto seus semelhantes que são diminuídos ou humilhados, torturados ou oprimidos.

Na esfera política, o conceito é utilizado para enfatizar a necessidade da união e do co…

Para entender a História do Brasil!

A CONTRIBUIÇÃO DO NEGRO NA FORMAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA

O processo da colonização brasileira traz consigo traços culturais diferentes trazidos pelos europeus, índios e africanos, os quais contribuíram nos aspectos econômicos, sociais e políticos para a formação da identidade nacional. O negro começou a ser introduzido no Brasil no final do século XVI, com o objetivo de substituir a mão-de-obra indígena, passando a fazer parte como o principal construtor da grandeza econômica da colônia e um dos principais formadores da nossa sociedade. Falar sobre a contribuição do negro para a formação da sociedade brasileira é falar daqueles que plantaram cana-de-açúcar, garimparam o ouro, construíram casas, casarões, igrejas, fortes, sobrados, cidades inteiras, num mundo feito para brancos, os quais os viam apenas como animais ou objetos, ferramentas sem nome, sem memória, sem história e sem mérito algum pelo que realizaram na construção do país e da sociedade, que cada vez, mas os influenciava…

Por que um feriado Nacional para celebrar o Dia da Consciência Negra?

Em 9 de janeiro de 2003, foi sancionada a lei n°10.639/03 que institui a obrigatoriedade da inclusão do ensino da História da África e da Cultura Afro-brasileira, nos currículos de estabelecimentos públicos e particulares de ensino da educação básica.

Com a Lei 10.639/03 também foi instituído o dia 20 de novembro como dia Nacional da Consciência Negra sendo outorgada aos estados e municípios decretarem feriado ou não.
A data faz memória ao dia da morte do líder quilombola negro Zumbi dos Palmares. (1655-1695)

Em 06 de Outubro de 2017 a  Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou o Projeto de Lei 296/15, que transforma o Dia Nacional da Consciência Negra em Feriado Nacional

O parecer do relator, deputado Chico Alencar (Psol-RJ), foi pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa do projeto e do substitutivo da Comissão de Cultura. Em vez de criar uma nova lei, o substitutivo modifica a Lei 662/49, que define os feriados nacionais.

http://www2.camara.leg.br…

Sobre o Dia Mundial da Filosofia!

Sobre o dia Mundial da Filosofia, alguns dizem ser hoje, 15 de Novembro feriado no Brasil em "comemoração" ao dia da Proclamação da República". (Muito há que se refletir sobre a data, porém deixo a reflexão por conta d@s historiador@s) com o objetivo de focar na Filosofia. Agradeço e retribuo as felicitações, afinal como bem dizia Gramsci "Somos tod@s Filosofóf@s"! 

Segundo a UNESCO o DIA MUNDIAL DA FILOSOFIA será amanhã.
" Dia Mundial da Filosofia celebra-se a 16 novembro em 2017. Este Dia Mundial da Filosofia foi implementado pela UNESCO em 2002 e comemora-se todos os anos na terceira quinta-feira de novembro. O objetivo do dia é enaltecer a importância da Filosofia na vida dos seres humanos e na vida em sociedade. Este é um dia de reflexão e de questionamento."

Aproveitemos então para refletir sobre o futuro da filosofia no Brasil, num momento em que o país sob a égide dos reacionários golpistas caminha para o mais profundo e obscuro abismo politico…

20 DE NOVEMBRO: CONSCIÊNCIA NEGRA!

A África é o nosso berço, a escola nossa mãe e o racismo a negação humana
(Aldo Santos)*

Por Aldo Santos: A campanha pelo feriado Nacional no dia 20 de novembro é em memória a Palmares, Zumbi e todos e todas que tombaram na luta contra a escravidão humana em 1695. Por quase quatrocentos anos a escravidão imperou em solo brasileiro, além de outras partes do mundo. Negros capturados na África eram uma forte moeda para os escravagistas, além de produzir as riquezas para os senhores de engenho e nas cidades como mão de obra escrava. Milhares de negros e negras foram torrados nos tachos dos engenhos, as mulheres estupradas pelos senhores e por vezes mutiladas pelas patroas que viam nelas uma permanente ameaça relacional.

Mas os negros não ficaram passivos diante dessa tragédia humana, ao contrário, reagiram à escravidão com muita coragem e luta. Existiram no Brasil centenas de quilombos, que foram centros de resistência para onde os negros fugiam para se organizarem, viver condignamente e …